ForMobile faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Plano de corte na marcenaria

A importância do plano de corte na marcenaria e como fazer o seu

Como você organiza seu plano de corte? Confira vantagens da prática e dicas de como preparar.

Na rotina de produção de projetos de móveis planejados ou seriados, o corte de peças é constante. Nesse sentido, o plano de corte é uma atividade dentro do processo, que nada mais é do que a ordenação e a organização de peças a serem cortadas. Aqui, o intuito é o de minimizar o desperdício e otimizar o aproveitamento.

Porém, o plano de corte é muito mais do que apenas posicionar peças no equipamento para serem cortadas. O objetivo é de que ele realmente maximize a utilização da chapa. Minimizar sobras pode não ser a única estratégia buscada, visto que, em alguns cenários, o agrupamento de peças de mesmo tamanho pode agilizar o corte e ser mais interessante do que poupar material. Isso porque é possível que as sobras maiores podem ser reutilizadas em futuros projetos. Dessa forma, é possível ganhar tanto em velocidade no corte quanto no reaproveitamento de sobras.

Além disso, o plano de corte perfeito é aquele que oferece não somente o melhor aproveitamento das chapas por meio de desenhos, como também inclusão das fitas de bordas, impressão de etiquetas e muitas outras funções que ajudarão a solucionar a demanda por eficiência, organização e agilidade no processo.

Ainda, o plano de corte pode influenciar na redução do custo do projeto de móveis, podendo proporcionar uma economia para o fabricante e redução de preço para o consumidor final.

Vantagens do plano de corte

O plano de corte traz muitos benefícios para o trabalho da marcenaria, como explica o gerente de Unidade de Desenvolvimento da Promob, Leandro Sperandio Rodrigues.

“Ele aumenta a lucratividade, já que reduz perdas e faz com que as chapas sejam utilizadas da forma correta. Além disso, possibilita um ganho de produtividade e um ambiente mais limpo e organizado, livre de tantos resíduos”, pontua.

Além disso, pode-se elencar ainda a geração de lista de compras, a prevenção de erros de digitação e entrada de dados, a importação de lista de peças de fontes diversas, o controle e a utilização de sobra de matéria-prima aplicada em projetos anteriores, entre outros.

Softwares para plano de corte

Devido à sua importância dentro da marcenaria, o mercado tem disponibilizado ferramentas diferenciadas e funcionais para que o plano de corte possa ser desenvolvido com precisão e cumprindo todos os objetivos desejados.

"A Promob, por exemplo, disponibiliza o Cut Pro. Nele, é possível cadastrar as informações do projeto, nome do cliente, ambiente de utilização, data de entrega e as peças que serão cortadas. Essas informações podem ser digitadas manualmente ou importadas por meio de arquivos de texto, planilhas do Excel e, até mesmo, softwares de projetos”, explica Rodrigues.

Vale destacar ainda que, nesse perfil de software, além do cadastro das informações do projeto, as matérias-primas também devem ser cadastradas, como chapas de MDF ou MDP, suas dimensões e acabamentos, assim como fitas de bordas e acessórios.

Com o seu motor de cálculo, os softwares permitem diferentes opções de aproveitamento. Dessa forma, realiza o planejamento de corte de um ou mais projetos agrupados, proporcionando a redução do desperdício de matéria-prima - devido à possibilidade do aproveitamento e utilização das sobras utilizadas no corte de projetos passados.

Além dessa solução da Promob, há outros softwares e apps no mercado para facilitar o plano de corte, tais como Marcenaria D, Projeto Gmad, SketchCut, entre outros.

E na sua marcenaria, como você faz o plano de corte? Utiliza algum software ou app para o planejamento do plano de corte? Deixe sua mensagem nos comentários.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar