ForMobile faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

TECNOLOGIA LIGNO.png Tecnologia LIGNO - Produto Bowl. Imagem: Willian Araújo

Tecnologia LIGNO e os benefícios para a indústria moveleira

Com a tecnologia LIGNO, é possível utilizar o pó da madeira para criar outros produtos. Saiba mais sobre isso e os impactos no setor moveleiro!

Um dos grandes desafios enfrentado pelas marcenarias é a forma como os resíduos da madeira são descartados. Diante disso, a tecnologia LIGNO surge como uma alternativa rentável e sustentável para esse contexto.

A lei federal nº 12.305, de agosto de 2010, instituiu a política nacional de resíduos sólidos e determina que toda marcenaria é responsável pela gestão dos resíduos de madeira que gera, da produção ao descarte. O polo moveleiro de Belo Horizonte, por exemplo, gera por volta de 298 toneladas de resíduos de madeira por mês. Apenas 16% desse material é eliminado de forma sustentável.

É comum destinar esses resíduos para fornos que promovem a queima de cerâmica; para forrar o piso de granjas e para queima a céu aberto, mas opções alternativas ganham espaço com o desenvolvimento de novas tecnologias. Acompanhe, a seguir, os benefícios da tecnologia LIGNO para a indústria moveleira e os impactos esperados.

O que é a Tecnologia LIGNO?

Tenologia LIGNO - Produto Bowl. Imagem Glaucinei Rodrigues CorrêaConversamos com o doutor Glaucinei Rodrigues Corrêa, designer de produto e professor da Escola de Arquitetura e Design, da Universidade Federal de Minas Gerais, responsável pela criação da tecnologia LIGNO.

De acordo com Corrêa, a palavra LIGNO vem de lignina (uma das principais substâncias presentes na madeira) e em latim significa madeira. Essa tecnologia permite a reinserção dos resíduos de madeira na cadeia produtiva de móveis, da seguinte forma: transformação da serragem de madeira maciça ou pó das placas de MDF, MDP e OBS em produtos com alto valor agregado. As etapas de transformação são as seguintes:

  1. Coleta do resíduo (pó ou serragem);
  2. Peneiramento para classificação de granulometria (impacta a resistência do produto final);
  3. Mistura do material peneirado com um tipo de cola, dando origem ao compósito;
  4. Pesagem do compósito e aplicação no molde;
  5. Trabalho do molde com pressão e temperatura para dar forma.

Após o tempo de cura, a peça sai pronta do molde, sem necessidade de cortes ou usinagem. O produto final é reciclável, podendo ser reutilizado como matéria-prima para fabricação de novos produtos.

O professor Glaucinei explica: “A versatilidade, em termos de aplicação do compósito, é demonstrada pela capacidade do mesmo em ser moldado com formas complexas; pela possibilidade de alterar a coloração do produto; pela facilidade de usinagem e pela possibilidade de criação de texturas em baixo ou alto-relevo nas peças.”

Como a tecnologia LIGNO pode ser implementada na indústria?

 Glaucinei Rodrigues CorrêaO professsor esclarece: “Para que seja desenvolvida em escala industrial, é necessário que o empresário saiba inicialmente qual é o mercado onde quer investir. Em seguida, fazer o desenvolvimento do produto ou dos produtos a serem fabricados. A partir do projeto dos produtos, o próximo passo é a fabricação dos moldes e especificação da infraestrutura, assim como dos equipamentos necessários para a produção. Deve-se definir o tipo de produto a ser fabricado, o volume de produção e o grau de automatização do processo, para em seguida especificar o investimento necessário”.

O designer de produto é o profissional que exerce a mediação entre a tecnologia LIGNO e a indústria, promovendo as estratégias adequadas para o mercado escolhido. A tecnologia pode ser aplicada para a fabricação dos mais diversos produtos, como, por exemplo, utensílios domésticos, móveis, objetos decorativos, luminárias e brindes.

“A Tecnologia LIGNO é uma inovação patenteada. Está no nível 5 de maturidade tecnológica, de acordo com o método Technology Readiness Level (TRL) e pronta para ser licenciada para indústrias. Pode ser adaptada para pequena, média ou grande escala de produção", explica o professor.

Análises de amostras do ligno indicam que esse compósito não é citotóxico, sua resistência mecânica (tração) é próxima à do MDF e não há restrições quanto ao tipo de madeira utilizada para gerar o compósito.

Pesquisa e tecnologia potencializando a atividade industrial moveleira

A tecnologia LIGNO foi desenvolvida pela UFMG e pelo SINDIMOV-MG, em parceria com a Universidade Federal de Uberlândia e o Sindicado das Indústrias de Marcenaria do Vale do Paranaíba.

O objetivo da tecnologia é a geração de emprego e renda a partir da reutilização sustentável dos resíduos de madeira. Ela tem fácil aplicação industrial e está pronta para ser implementada.

 

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar