• ForMóbile is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Tendências

Indústria de móveis espera alta na exportação até fim de 2017; veja como aproveitar

Depois da instabilidade apresentada em 2016, a indústria de móveis têm tido uma melhor performance em 2017. De janeiro a março deste ano, as exportações no setor moveleiro somaram U$ 141 milhões, o que representa uma alta de 7,9% se comparada ao mesmo período de 2016. De acordo com dados do Iemi (Inteligência de Mercado), desenvolvidos com base nas informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), 25,9% desse valor correspondem às exportações para os Estados Unidos, 11,81% para o Reino Unido e 10,3% para a Argentina.

A expectativa continua positiva em relação ao restante do ano, mesmo após os embarques perderem um pouco do ritmo de abril para cá, conforme fontes do setor. O Custo Brasil – termo referente ao conjunto de entraves estruturais que encarecem a produção industrial local – continua sendo o maior impeditivo para as empresas moveleiras que desejam exportar. Apesar disso, a projeção do Iemi é de alta de 4,5% nas exportações de móveis, em dólar, até o final de 2017.

“A indústria brasileira de móveis tem design e qualidade. E algumas delas têm tradição no comércio exterior”, ressalta José Augusto de Castro, presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB). Diante disso, saber identificar as oportunidades de negócio que se apresentam fora do país e estar preparado para aproveitá-las é fundamental para as empresas do setor. Confira algumas dicas.

1. Deixe sua empresa mais atraente para financiamentos e investidores

Boa parte das empresas deixa de exportar pela falta de planejamento. Afinal, é preciso ficar atento aos preços de venda no mercado externo, às possibilidades de lucro e às despesas específicas da operação.

Faça, portanto, um bom e detalhado plano de negócio. Com ele, será  mais fácil dar garantias e demonstrar profissionalismo na hora de buscar uma linha de financiamento ou de procurar por um potencial investidor.

Uma opção de financiamento é o Seguro de Crédito à Exportação, que fornece garantias ao financiamento a compradores de mercadorias brasileiras no exterior. No entanto, ele só se aplica a empresas que têm faturamento máximo de R$ 90 milhões ou que tenham exportado, no máximo, U$ 3 milhões. Esta seria uma alternativa imediata para ter capital para exportar, mas o número de empresas cobertas pelas exigências é limitado.

2. Participe de feiras e eventos com abrangência internacional para abrir portas para exportação

Participar de feiras com abrangência internacional é uma ótima forma de ficar por dentro da realidade do mercado, tanto em nível nacional quanto internacional. Tendo um bom conhecimento do mercado, a possibilidade de acertar no produto e ter uma recepção positiva no exterior é maior.

É muito importante conhecer quem é o seu comprador fora do país e, principalmente, tentar interagir com pessoas que possam estar interessadas no que você tem a oferecer. Por isso, aprimorar o networking é uma das melhores maneiras para se preparar para o aumento no volume de exportação.

3. O seu produto precisa ser diferenciado

Os produtos que mais fazem sucesso fora do país são aqueles que trazem algum diferencial. Não adianta fazer tudo o que todos estão fazendo e acreditar que isso será o suficiente.

Invista em inovação! Deixe claro qual é a sua marca, pelo produto em si, processo de produção ou, até mesmo, pela embalagem. O importante é chamar a atenção do cliente e se diferenciar da concorrência.

4. Tenha um bom controle de produção

Para ser capaz de exportar, você precisa ter certeza do quanto produz e a porcentagem que será capaz de encaminhar para exportação. Por isso, leve em conta, também, a forma como é realizado o processo produtivo, os preços de venda e a capacidade de comunicação da sua empresa com as demais.

Geralmente, as diferenças de idioma podem ser uma barreira para pequenas e médias indústrias. Mas, em alguns casos, é possível negociar com localidades que tenham alguma proximidade com nossa língua, ou com países que falam português, como, por exemplo, Portugal, Cabo Verde ou Angola.

Também é importante ter um site no idioma do país que você está fazendo exportação. Além de dar credibilidade para a marca no exterior, o recurso possibilita a comunicação direta com a clientela.

5. Deixe tudo pronto para exportar

Para exportar os produtos, a empresa precisa se registrar na Secretaria de Comércio e Exterior e na Receita Federal, para que, assim, possa realizar as transações dentro das leis vigentes.

Por ser uma parte muito burocrática, algumas empresas acabam contratando intermediárias para realizar as operações de venda no exterior, porém, isso pode diminuir os lucros. Portanto, procure saber o que melhor se encaixa na sua realidade.

Quer saber mais sobre as possibilidades de exportação na indústria de móveis? Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e bons negócios! 


1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *