Gestão

Como driblar a alta dos insumos na indústria moveleira?

De acordo com a CNI (Confederação Nacional das Indústrias), nos meses de abril, maio e junho de 2018, a produção industrial no país teve um aumento de preço de 3,7%. Conforme o levantamento da entidade, trata-se do maior aumento desde 2015, quando o indicador chegou a 3,8%. Ainda segundo o estudo, a situação também impactou a indústria moveleira, que teve a alta dos insumos e da matéria-prima para a construção dos móveis como um dos principais motivadores.

No entanto, dados do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul (uma das cidades que mais produzem móveis no país), indicam que o faturamento nominal do polo moveleiro local cresceu 5,3% no primeiro semestre de 2018, na comparação com o mesmo período de 2017. Entretanto, devido à alta dos insumos e do custo de produção, o faturamento real fica negativo.

Caminhos para lidar com a alta dos insumos

Para driblar tal situação, Fabiano Klein, marceneiro e um dos sócios de uma marcenaria no Rio Grande do Sul, tomou algumas atitudes:

De modo geral, a empresa trabalha com vários fornecedores e fabricantes de diferentes materiais. Dessa forma, quando ocorre de um fornecedor aumentar seus preços, trabalhamos com outro que apresente preços melhores e boa qualidade. Geralmente, esse é o momento que aumentamos nossos estoques com produtos que ainda estão com preços abaixo do praticado. Outra saída, muito aceita por sinal, foi dar opção ao cliente de trabalhar com outros materiais, como, por exemplo, a madeira, que está novamente em alta e aparecendo em belíssimos projetos juntamente com o MDF”, explica.

A importância do relacionamento com os fornecedores

Para o empresário gaúcho, uma ação importante para lidar com esse problema é “manter um relacionamento estreito com fornecedores que, geralmente, avisam que haverá determinado aumento ou, até mesmo, falta de algum produto.

Assim, é preciso desenvolver bons relacionamentos com mais de um fornecedor, permeados por transparência e interações do tipo ganha-ganha. Dessa forma, seus fornecedores serão mais do que intermediadores transacionais, serão, também, parceiros de seu negócio.

Rever processos também é fundamental

Para buscar a manutenção de uma margem de lucro, otimizar a operação e não perder negócios, é fundamental, também, rever processos. Muitas vezes, há desperdício de materiais, altos índices de retrabalho e má utilização de equipamentos. Tudo isso contribui para aumentar os custos do negócio e, naturalmente, reduzir sua lucratividade.

Além disso, eliminando gargalos como esse, é possível reduzir a demanda mensal por determinados insumos, o que contribui como ação para se lidar com a alta de preço dos materiais.

O desafio de repassar a alta dos insumos para o cliente

Com a necessidade de repassar o valor da alta dos insumos para os clientes, o marceneiro percebeu na flexibilização das formas de pagamento um caminho para que o cliente não deixe de realizar seu projeto.

Dessa forma, com a alta dos insumos e o consequente reajuste no valor dos projetos, opções como estender o prazo e ofertar novas alternativas de formas de pagamento podem ser uma solução.

“Principalmente os clientes com projetos com o uso de várias cores e texturas diferentes estão optando mais por formas de pagamento diferenciadas e/ou estendidas para viabilizarem a execução dos projetos”, confirma o empresário.

E na sua empresa, como você está lidando com a alta dos insumos? Deixe sua mensagem nos comentários abaixo e até a próxima!

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *