Corda náutica em móveis

Como usar corda náutica em móveis?

A corda náutica em móveis é uma tendência: descubra como usá-la.

Peças utilizando materiais rústicos, como a corda náutica em móveis, estão cada vez mais em evidência em diversos cômodos da casa. Tradicionalmente associado aos móveis para as áreas externas, o material ganha cada vez mais espaço em salas, quartos, cozinhas e outros ambientes internos.

O uso de corda náutica na produção de móveis agrega um design sofisticado e moderno aos ambientes. Além de resistente ao sol e à chuva, o material resiste também a manchas de bebidas como café e vinho.

O supervisor da Móveis Lourdes, Robson Penteado, aponta algumas qualidades do material: “a corda náutica traz aos móveis estética, beleza e durabilidade. Hoje, ela é recomendada tanto para ambientes internos quanto externos, devido às qualidades que possui”, comenta o especialista.

Uso em ambientes internos

O uso de corda náutica na indústria moveleira permite inúmeros desenhos na hora da trama. Isso resulta em mobiliários bastante criativos, cujo design agrega vida e personalidade.

Dessa forma, na parte interna da casa, seu uso é recomendado em cadeiras, poltronas e na sala de jantar. O material funciona bem em combinações, ao ser aplicado, por exemplo, a um conjunto de mesa e cadeiras.

A corda náutica, aliada a outros materiais, além do ar rústico, também agrega ao móvel atributos de modernidade. Dessa forma, pode-se pensar, por exemplo, em uma poltrona de linho com detalhes em corda náutica e madeira. Isto garante um ambiente moderno e original.

Uso em ambientes externos

A corda náutica segue sendo uma boa escolha para quem quer originalidade no mobiliário para a área externa. Assim, ela agrega leveza e textura ao ambiente, pois gera contraste e acabamento ao ser combinada com madeira e alumínio. Tratam-se de dois materiais bastante adequados para áreas externas, como espaços de churrasqueiras, piscina e jardins.

Cuidados ao utilizar a corda náutica

A corda náutica, fibra sintética e tela sling garantem alta durabilidade na utilização em ambientes externos e internos, entretanto, para isso, alguns cuidados são necessários.

“Esses produtos têm uma durabilidade superior a cinco anos. Por isso, para mantê-los em boa conservação, nunca utilize solventes, removedores, abrasivos ou produtos alcalinos na limpeza dos móveis”, enfatiza o representante da Móveis Lourdes.

Você já aplica a corda náutica em seus projetos? O que achou dessa tendência para móveis para ambientes internos e externos? Deixe sua mensagem nos comentários e continue acompanhando nosso canal de conteúdo para outras dicas e informações de seu segmento.

Seccionadoras de painéis

Seccionadoras de painéis: dicas e aplicações

Tendo como principal benefício na indústria a qualificação do corte, as seccionadoras de painéis também atuam no desenvolvimento de acabamento e precisão nos painéis que por elas passam. Elas trabalham com sistemas de plano de corte integrado, para onde é possível lançar todas as medidas das peças a serem cortadas. O software, por sua vez, organiza da melhor forma a matéria-prima. Dessa forma, o sistema gera o aproveitamento mais econômico possível para que a máquina o execute.

Atualmente, o funcionamento do processo de corte faz com que o operador seja o responsável pela otimização das placas. Isso pode acabar ocasionando perdas para a indústria. Aplicar às seccionadoras de painéis o uso dos recursos da Indústria 4.0 pode ser uma opção. Assim, a tecnologia possibilita que um software identifique e aplique a melhor solução possível dentro das especificações necessárias.

Outros aspectos do sistema também merecem destaque, conforme pontua o gerente comercial nacional da Giben, Ari Geraldo Valarini.

“A máquina conta hoje com dispositivo de impressão de etiquetas, que pode ser acoplado a uma impressora. Dessa forma, é possível ter a emissão da etiqueta código de barras. Tal código especifica o tamanho do material que foi cortado, se a chapa vai receber acabamento de fita de borda, etc. Você pode ter, a partir da seccionadora, um processo integrado de uma fábrica para controlar 100% do processo”, afirma.

Tecnologia aplicada às seccionadoras

As novas tecnologias aplicadas às seccionadoras de painéis permitem que elas sejam máquinas computadorizadas. “Trabalhamos com a máquina na plataforma Windows que determina todos os controles dos eixos das máquinas, desde o avanço da serra até o controle do empurrador e da velocidade”, salienta Valarini.

Além disso, as seccionadoras de painéis têm controle de segurança e produzem relatórios no final do dia. Esses dados irão nortear o trabalho a ser realizado no período seguinte. Detalhes como quanto a máquina trabalhou em termos de produção, volume de corte, métodos lineares, número de deslocamentos de serra e o tempo que ela ficou parada, são especificados nesses relatórios de controle fabril.

Como extrair o máximo das seccionadoras de painéis

O grande ponto para o máximo aproveitamento das seccionadoras é a utilização de um software que vise a otimização.

“Todo o trabalho de engenharia deve ser desenvolvido com o PPCT da empresa. Além disso, toda a lista de corte deve ser preparada antecipadamente para que o operador possa receber isso já pronto. Dessa forma, ele não necessitará realizar nenhum trabalho que não seja propriamente a colocação do painel na máquina e o começo do processo de corte”, relata o gerente comercial da Giben.

O trabalho de engenharia deve ser realizado e posteriormente transferido para a seccionadora, seja por wireless ou dispositivo USB. Assim, o programa já pronto é descarregado na máquina.

Dessa forma, o uso de softwares especializados pode ser um aliado poderoso para a produção cada vez mais otimizada de painéis.

Gostou de nossas dicas de como extrair o máximo das seccionadoras de painéis? Conhece alguma outra boa prática para esse fim? Compartilhe sua experiência nos comentários.

Cheio de peculiaridades e características próprias, o uso de madeira teca em projetos de móveis pode gerar aplicações diversas.

Madeira Teca em projetos de móveis: conheça as vantagens

Cheio de peculiaridades e características próprias, o uso de madeira teca em projetos de móveis pode gerar aplicações diversas. Teca é o nome comercial da tectona grandis, uma árvore cuja madeira tem densidade média de 0,67g por centímetro cúbico.

“Ela pertence à família das verbenáceas, sendo nativa da Ásia. Mais precisamente, das florestas tropicais do sudeste asiático (Índia, Myanmar, Tailândia e Laos)”, explica o engenheiro florestal da Universidade do Espírito Santo, Felipe Querino dos Santos.

O profissional destaca que, no Brasil, há duas variedades da teca. A primeira, de origem birmanesa, é chamada tenasserim, e é mais expressiva por ter maior área plantada. A segunda é oriunda do Sri Lanka, e chegou ao Brasil por meio do Panamá.

Atualmente, essas duas procedências de teca são amplamente distribuídas não só no país, como também em toda a América Latina. Além disso, por sua durabilidade e beleza, a madeira teca é indicada para projetos de móveis externos e internos.

Madeira teca em projetos de móveis

A madeira teca pode ser aplicada em projetos de móveis internos como mesas, cadeiras e peças com gavetas. Utensílios domésticos, painéis para TV, portas de entrada, piso, além de cubas para lavabos ou banheiros e bancada esculpidas, também são opções de uso.

Projetista do Studio Dlinea, Marcelo dos Anjos, traz uma dica: apostar na combinação de uma peça de madeira teca com uma decoração clean. “Essa associação resultada em uma composição requintada, sofisticada e bastante durável”, afirma.

Em projetos de móveis externos, a madeira teca é indicada para a confecção de peças, como bancos e outros mobiliários para jardim. Isso porque esses itens podem ser expostos sem proteção alguma, fazendo apenas com que a madeira adquira coloração diferenciada, mas sem danos com o passar do tempo. Ou seja: uma característica que a torna perfeita para confecção de móveis de jardim ou varanda.

Um exemplo disso é a produção de cadeiras em madeira teca, que apresentam resistência e, ao mesmo tempo, leveza. Dessa forma, o material facilita a locomoção que geralmente a peça demanda. Ela é, ainda, indicada para a produção de decks, por não deteriorar em contato ocasional com a água. São atributos como esse que dão à teca a fama de madeira mais resistente do mundo.

De modo geral, a aplicação da madeira teca em projetos de móveis resulta em peças que unem o rústico ao elegante, em mobiliários duráveis e com acabamento de alto padrão.

Principais características da madeira teca

A madeira da teca apresenta facilidade de secagem e estabilidade dimensional. Suas fibras retas e uma textura mediana e oleosa ao tato também são características do material. Além disso, um alburno amarelado ou esbranquiçado, comumente delgado, contrasta com o cerne, que é castanho-amarelo-dourado.

Trata-se de um material estável e com resistência à ação do sol e da variação térmica, da água de chuva e do mar e até mesmo ao ataque de pragas. Além disso, também é conhecida por ser uma madeira versátil e que pode ser facilmente trabalhada. Ainda, seu teor de óleo permite que os móveis desse material possam manter seu brilho característico por muito tempo.

E então, o que você achou da aplicação da madeira teca em projetos de móveis? Conhece algum outro bom exemplo? Deixe sua mensagem nos comentários e até a próxima.

______________________________

Saiba mais sobre a ForMóbile e acompanhe o blog para se manter informado!